Low-code é a nova tendência, e o GVinci é uma delas

A palavra chave no desenvolvimento de software é “velocidade”. As empresas e as equipes de desenvolvimento de aplicativos estão buscando adotar todas as técnicas que acelerem o desenvolvimento e a entrega de software. Para as aplicações voltadas ao cliente em particular, uma tendência crescente para atender a essa demanda é a crescente popularidade das plataformas de desenvolvimento de “low-code”, na tradução como “pouco código” ou “baixo código”.

Ninguém quer perder tempo e isto não é de agora. Quando se trata de desenvolvimento de sistemas, a pressa ainda é maior, pois o que é novidade hoje, pode não ser amanhã.

Para ganhar esta celeridade, existe agora uma nova categoria de ferramentas de desenvolvimento, que são as plataformas onde é possível criar sistemas basicamente sem uso de códigos.

Menos código e mais velocidade… como é possível?

As plataformas de desenvolvimento de aplicativos de low-code são projetadas para permitir a criação rápida, configuração rápida e implantação de aplicativos com um mínimo de “codificação manual” tradicional. Para aplicações e sistemas que se envolvem diretamente com os clientes, as plataformas de código baixo fornecem ferramentas visuais para definir e construir rapidamente formas e experiências do usuário. A codificação tradicional ainda é essencial na implantação de uma aplicação na produção, mas as ferramentas visuais de baixo código estão ganhando força ao longo do processo de desenvolvimento (para construir fluxos de trabalho em vários estágios e configurar modelos de dados, como exemplos).

“Embora o low-code esteja entrando em moda hoje, a abordagem tem sido essencial para oferecer uma plataforma RAD (desenvolvimento rápido de aplicativos) por muitos anos”, disse Dion McCormick, diretor de soluções de clientes da Alpha Software. “Nosso foco sempre foi velocidade de desenvolvimento, e para chegar lá, você deve reduzir a quantidade de programadores e de codificação que eles devem fazer. Os desenvolvedores precisam da confiança de que eles podem mergulhar e codificar a qualquer momento, a garantia de que nunca atingirá a barreiras”.

De acordo com a empresa de pesquisa Forrester, que cunhou o termo “low-code”, o fator principal do aumento das plataformas de low-code é a necessidade urgente das empresas entregar e adaptar altos volumes de aplicativos novos, combinados com a diminuição dos recursos do desenvolvedor de código manual devido a superabundância de novas aplicações. A Forrester publicou recentemente um relatório sobre o desenvolvimento low-code intitulado “Novas plataformas de desenvolvimento emergem para aplicações de atendimento ao cliente”, o que explica por que as plataformas de baixo código tomaram posse, quebrando preconceitos de algumas empresas de software e discute por que o desenvolvimento de low-code é uma solução, não um atalho.

Mas, de verdade, o que é um desenvolvimento low-code, ou pouco código? 

O desenvolvimento low-code não é um conceito completamente novo. É simplesmente uma prática que nunca foi definida anteriormente. De acordo com o analista da Forrester, Clay Richardson, um dos co-autores do relatório, as origens do termo oficial retornam a um relatório de 2011 sobre novas plataformas de produtividade para aplicações personalizadas. Veja que o GAS (Gerador Automatico de Sistemas) foi um dos precursores, ainda em DOS depois em Windows, partindo depois para o GASWeb e GVinci. São 35 anos com este modelo, que hoje é conhecido como low-code.

Além do benefício óbvio de reduzir a codificação para acelerar o desenvolvimento, o Gvinci, como plataforma de low-code, também fornece um único ponto de controle para configurar, entregar e manter aplicativos, visto que toda a estruturação da sua solução fica dentro de um banco de dados, centralizado e de fácil localização dos módulos e códigos. Nesses ambientes centralizados, os desenvolvedores podem criar e alterar design, além do desenvolvimento e implantação de rotinas sob a mesma plataforma, permitindo entender o que está sendo feito por outro desenvolvedor sem necessidade de documentação específica.

Teste e aprenda. Não ficou bom, mude rapidamente.

Nem sempre o cliente que irá utilizar o sistema sabe o que realmente quer. Muitas vezes ele passa uma solicitação, começa a utilizar, depois vê que precisa de mudanças, sejam elas simples ou radicais. Acontece que em um cenário de desenvolvimento manual, a alteração pode se tornar muito pior que o desenvolvimento, se não tiver documentação, ou se ela for feita por outro desenvolvedor então, pode se tornar um desastre completo. Neste aspecto, o controle que uma ferramenta de low-code pode trazer, pode facilitar e agilizar e muito este processo.

Várias empresas mencionaram o termo “teste-e-aprenda “, disse Richardson. Em um caso, um líder de desenvolvimento apontou que ele precisava de uma plataforma que pudesse suportar uma rápida experimentação com novas idéias que os líderes empresariais trouxeram para ele. Ele precisava de uma maneira de criar rapidamente um aplicativo e testar a ideia com os clientes, mas também precisava de uma plataforma que pudesse mudar rapidamente da prototipagem de um aplicativo experimental para a implantação do aplicativo na produção em ampla base de clientes. Acredita-se que as plataformas de low-code são otimizadas para esse aspecto de “agilidade e teste”, que está se tornando um ingrediente essencial para a construção de aplicativos voltados para o cliente.

O Gvinci neste cenário

O Gvinci, como plataforma de low-code, fornece ambientes para a construção de aplicativos corporativos com menos codificação, mas com a opção para que os desenvolvedores adicionem código personalizado quando necessário. Este é o grande diferencial frente a outras ferramentas, pois com isto, seu conhecimento não fica restrito e você pode crescer o seu aplicativo com funções próprias, de acordo com a capacidade da sua equipe de desenvolvimento.

Assim, os desenvolvedores podem se concentrar na funcionalidade e na experiência do usuário versus código de rotina. Os desenvolvedores também podem processar e responder as solicitações dos seus usuários mais rapidamente para ajustar e melhorar seus aplicativos.

E os preço destas ferramentas

Bom, existem muitas no mercado, cada uma com suas qualidades. O Gvinci é destacado, visto que o seu preço é extremamente baixo, frente aos outros concorrentes internacionais.

A licença mais em conta do Gvinci, sai por pouco mais de 50 dólares por desenvolvedor/mês. Além disto, não é cobrado por aplicativo desenvolvido nem por número de usuários que fez o login, como é comum em muitas ferramentas. A ferramenta que mais se compara ao Gvinci, com estes recursos ilimitados, custa em média 2.000 dólares/mês. A relação destas ferramentas, suas características e preços podem ser acessadas pelo link no wikipedia: https://en.wikipedia.org/wiki/Low-code_development_platforms#Commercial_Low-code_development_platforms

O Gráfico abaixo mostra o crescimento que este tipo de ferramenta teve recentemente e a tendencia de forte crescimento.

É isto ai pessoal. Vamos lá, quanto mais cedo você começar, mais cedo terá seu aplicativo desenvolvido. Procure nossa equipe e tire suas dúvidas quanto ao Gvinci e veja os benefícios que ele traz para o desenvolvimento de aplicativos web.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *